quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Deus está conosco todos os dias!


17 de novembro de 2011

Companheiro no caminho

David H. Roper
Mateus 4:18-22
Caminhando junto ao mar da Galileia, [Jesus] viu dois irmãos […] E disse-lhes: Vinde após mim… —Mateus 4:18-19
Ezequiel 5–7
Hebreus 12
Gosto muito de andar pelos caminhos e trilhas do estado onde vivo e desfrutar de seu esplendor e pitoresca beleza. Com frequência, sou relembrado de que essas caminhadas são simbólicas da nossa jornada espiritual, pois a vida cristã é simplesmente caminhar — com Jesus ao lado como nosso companheiro e guia. Ele andou por toda a Palestina, de uma extremidade à outra, reunindo discípulos e dizendo-lhes “…Vinde após mim…” (Mateus 4:19).
A jornada nem sempre é fácil. Às vezes, desistir parece mais fácil que prosseguir, mas, quando as coisas se tornam difíceis, podemos descansar um pouco e renovar nossas forças. No livro O Progresso do Peregrino, John Bunyan descreve o caramanchão na Colina Dificuldade onde o cristão retomou o fôlego antes de continuar a escalada. Seu rolo de pergaminho proporcionou conforto, lembrando-o da presença contínua e do poder sustentador do Senhor. Ele recebeu um segundo vento para poder caminhar mais alguns quilômetros.
Somente Deus sabe aonde o caminho nos levará, mas temos a garantia do nosso Senhor: “…estou convosco todos os dias…” (Mateus 28:20). Esta não é uma metáfora ou outra figura de linguagem. Ele é uma companhia real. Não há uma hora sem a Sua presença, um quilômetro sem Seu companheirismo. Saber que Ele está conosco alivia a jornada.
Ao viajar pela cansativa estrada da vida, permita que Jesus sustente a sua carga pesada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Pesquisar este blog

Carregando...

Versículo do Dia!

Reflexão

“A cada dia que vivo mais me convenço de que o desperdício da vida esta no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca. E, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.” Carlos Drummond de Andrade